Ondas sísmicas

Imprimir
Parte da energia potencial acumulada sob a forma de deformação nas rochas, é liberada através de ondas sísmicas que partem do ponto inicial de ruptura e se propagam em todas as direções. Essa região confinada em subsuperfície onde se originam as ondas é chamada de Foco ou hipocentro. Sua projeção até a superfície do globo terrestre corresponde ao Epicentro do terremoto.

As ondas sísmicas se propagam com velocidade e características definidas por propriedade do meio por onde passam. Elas se classificam como Ondas Internas quando se propagam pelo interior da Terra (Ondas de Corpo) e como Ondas de Superfície quando se propagam próximo à superfície terrestre. No primeiro caso temos as Ondas P e S e no segundo caso temos as ondas Love e Rayleigh.

Tipos de ondas sísmicas

Onda P ou Primária, Longitudinal ou Compressional-dilatacional: A onda sonora é um exemplo de onda P. É mais rápida e consegue se propagar em todos os meios. As vibrações de partículas são paralelas à direção de propagação da onda e corresponde a sucessivas compressões e dilatações do meio por onde passam, como ilustrado na figura abaixo:

Onda S, Secundária, Transversal ou Cisalhante: Não consegue se propagar no meio líquido (pastoso). As vibrações de partículas seguem movimentos cisalhantes que são perpendiculares à direção de propagação da onda. Veja a figura abaixo:


Onda Love: As vibrações ocorrem no plano horizontal que é perpendicular à direção de propagação da onda. Segue o exemplo abaixo:


Onda Rayleigh: O movimento das partículas se dá em um plano vertical à direção de propagação da onda.


Efeito das ondas sísmicas

Na crosta terrestre, a velocidade média das ondas P é de aproximadamente de 5 km/s e da Ondas S é cerca de 3 km/s. As ondas de superfície são mais lentas e sua penetração em profundidade depende de seu comprimento de onda. O tempo aproximado que uma onda P leva para atravessar diametralmente a Terra é de aproximadamente 20 minutos. O terremoto do Chile de 1960 (magnitude 8,0 MS ou 9,5 Mw) liberou tanta energia que as ondas superficiais continuaram sendo registradas durante 60 horas após o evento.

Fases de ondas que se propagam na crosta terrestre



* Pg: Ondas P que propagam a distâncias mais curtas (0.1º < Distancia < 8º). Estas ondas se propagam somente dentro da crosta. A distâncias um pouco maiores causam reverberações múltiplas no interior da crosta. Esta onda alcança velocidade média de 5.8 km/s.
* Sg: Ondas S que propagam a distâncias mais curtas (0.1º < Distancia < 8º). Estas ondas se propagam somente dentro da crosta. A distâncias um pouco maiores causam superposições e reverberações múltiplas no interior da crosta. Ocorre também na conversão de P para SV ou SH. Esta onda alcança velocidade média próxima de 3,5 km/s e pode ser também chamada de Lg.
* P* ou Pb, S* ou Sb: Ondas P e S refratadas na Descontinuidade de Conrad (2º < Distancia < 8º).
* Pn e Sn: Ondas P e S refratadas na Descontinuidade de Moho (Mohorovicic) que separa a crosta do manto terrestre (2º < Distancia < 20º).
* PnPn e SnSn: Ondas Pn e Sn com reflexão livre na superfície.
* PgPg e SgSg: Ondas Pg e Sg com reflexão livre na superfície.
* PmP:Ondas P com reflexão no lado externo da Descontinuidade de Moho.
* PmS: Ondas P com reflexão no lado externo da Descontinuidade de Moho e se convertendo para onda S.
* SmS: Ondas S com reflexão no lado externo da Descontinuidade de Moho.
* SmP: Ondas S com reflexão no lado externo da Descontinuidade de Moho e se convertendo para onda P.
* Rg: Ondas Rayleigh (Superficiais) de período curto com propagação na Crosta.

A Figura abaixo mostra a trajetória das ondas na crosta terrestre:



Ondas que se propagam no Núcleo

* PKP: É a ondas P direta que se propaga dentro do núcleo (Distancia < 100º).
* SKS: É a onda S direta que se propaga dentro do núcleo.
* PKPbc (PKP1): É a onda P que se propaga na parte inferior do núcleo externo.
* PKPab (PKP2): É a onda P que se propaga na parte superior do núcleo externo.
* PKPdf (PKIKP): É a onda P que se propaga dentro do núcleo interno.
* PKPdif: É a onda P difratada no limite entre o núcleo externo e o núcleo interno.
* PKS: É a onda P não especificada que se propaga no núcleo e se converte para onda S no limite manto-núcleo.
* SKP: É a onda S não especificada que se propaga no manto com fase S e ao entrar no núcleo externo é convertida em onda P seguindo o seu trajeto.
* PKKP, SKKS, PKKS, SKKP: São as ondas P ou S não especificadas que se refletem uma vez no limite manto-núcleo no interior do núcleo externo. No caso das ondas S, por não se propagarem dentro do núcleo externo, elas têm a propriedade de se converterem em ondas P enquanto atravessam o núcleo externo.
* PKiKP, SKiKS: São as ondas P ou S refletidas no limite do núcleo interno. No caso das ondas S, por não se propagarem dentro do núcleo externo, elas têm a propriedade de se converterem em ondas P enquanto atravessam o núcleo externo.
* PKiKS: É a onda P refletida no limite do núcleo interno e depois se convertendo para onda S.
* PKJKP, SKJKS: São as ondas P ou S que se propagam no núcleo externo com fase P e no núcleo interno com fase S.